Calçado: não é qualquer um que se põe no pé do trabalhador


Equipe de Obra – 11/10/2016

Calçados para trabalhar em um canteiro de obra não são todos iguais. Eles possuem diferentes graus de exigência, que dependem da sua utilidade e da atividade desempenhada pelo trabalhador, sendo classificados como calçados ocupacionais (os mais simples), de segurança e de proteção (que exigem maior nível de desempenho).

Segundo Ricardo Rodríguez da Silva, supervisor de vendas da Kadesh Calçados Profissionais, marca do Grupo Imbipar, dependendo dessa classificação, os calçados contemplam diferentes níveis de desempenho, como proteção ao impacto e a perfurações e resistência à carga de compressão (não aplicável ao calçado ocupacional), de forma a propiciar a segurança apropriada para cada local de trabalho.

Os calçados de segurança correspondem ao conjunto de itens necessários para assegurar a minimização destes riscos. As características de proteção elétrica dos calçados, por exemplo, são diversas (condutivo, antiestéticos e isolantes elétricos).

A Kadesh destacou na 21ª Feira Internacional de Segurança e Proteção (Fisp 2016), que aconteceu em outubro, em São Paulo, a Linha Composite, de sapatos e botas com bico de composite e palmilha antiperfuro para calçados de segurança. O composite é um composto formado por fibra de carbono, vidro e poliéster especial, sem componentes metálicos. O material lembra o plástico, mas pode ter resistência superior à do aço.

Segundo Silva, o composite é uma das novidades do mercado de calçados profissionais. A biqueira tem o mesmo desempenho da tradicional de aço (até 200 joules) na proteção contra queda de uma ferramenta no pé do trabalhador, por exemplo, além de ser mais leves e ideal para serviços em áreas eletrificadas, por não ser condutível.

“As principais características do composite são leveza e versatilidade de aplicação, principalmente quando comparada ao material similar em aço”, diz Silva. Ele lembra que acidentes nos canteiros relacionados à energia elétrica são ainda muito frequentes.

A feira também trouxe calçados com palmilha em fibra de aramida não metálica, resistente à perfuração e a impactos.

Já a Bompel lançou na Fisp 2016 a linha especial Infinity, com design dinâmico para controle e absorção dos impactos do movimento. Macio, o solado da linha absorve o impacto com eficiência, auxilia no equilíbrio da postura e minimiza a pressão plantar e foi projetado com uma angulação adequada ao formato dos pés, permitindo maior estabilidade, segurança e conforto para uso contínuo. Fabricado em PU bidensidade (dupla camada), garante alta tração e resistência à abrasão em qualquer superfície. O salto utiliza a tecnologia Shock Absorber que minimiza o impacto na região do calcanhar. É antiderrapante e resistente a óleos. Já o design dos frisos e das bordas arestas na lateral dão aderência em áreas molhadas e enlameadas, facilitando o escoamento de líquidos e resíduos e os frisos com design invertido na parte frontal e inferior do solado auxiliam na impulsão e frenagem dos pés.

A Marluvas Calçados ampliou as variações de modelos e cores dos calçados da linha Premier, que também têm solado em PU bidensidade com sistema de absorção de impacto na entressola e na região do calcanhar. A linha possui ainda sistema antitorção, para dar maior sustentação ao tornozelo e planta dos pés, proporcionando estabilidade em terrenos irregulares e ao subir escadas, evitando acidentes.

Características essenciais

Cada um dos calçados utilizados para trabalhar no canteiro de obras (sapatos ou botas) é projetado para um determinado fim e leva consigo algumas características importantes, como se são indicados para utilização em locais de baixa ou alta temperatura, secos ou úmidos, escorregadios ou ásperos.

O que determina onde estes calçados serão utilizados é por exemplo o tratamento que é dado ao couro, o revestimento, as costuras e principalmente o solado, que pode ser monodensidade (1 camada de PU) ou bidensidade (2 camadas de PU).

Os calçados fabricados com couro de vaqueta e com solado bidensidade, tendem a ser mais resistentes, caros e confortáveis que os confeccionados com couro de raspa e solado monodensidade. Mas eles são adaptados ao enorme desgaste que sofrerão. Na construção civil, onde a exposição a agentes mecânicos (estruturas metálicas, alvenaria) e a agentes químicos (cimento, cal) é constante, a durabilidade também é um fator a ser levado em conta a favor dos calçados de couro e dupla camada de PU.

Certificado de Avaliação

Seja qual for a escolha do calçado ideal, ele é obrigado a possuir um número de registro, o CA (Certificado de Aprovação), emitido pelo MTPS (Ministério do Trabalho e Previdência Social).

Clique aqui para ler a notícia direto da fonte.


Veja também...